quinta-feira, 28 de maio de 2009

Trabalho de T.A

Tema: Escolher uma empresa na revista Exame edição especial melhores empresas para se trabalhar, e traçar um paralelo entre a teoria e a prática baseada na teoria de Herzberg.


Análise

Nossa análise será com a equipe Chemtech, uma empresa de consultoria e prestação de serviços em engenharia e Tecnologia da Informação, com sede no Rio de Janeiro. Em 2001 passou a fazer parte do grupo Siemens, mantendo sua liderança, padrão mundial de qualidade, market share definido, linha de soluções e gestão independente. Os profissionais que consiste essa empresa, mostram-se bastante satisfeitos no ambiente de trabalho. Com isso escreveram a empresa em uma lista das melhores empresas para se trabalhar. Tudo isso aliando sua agilidade à solidez do grande grupo econômico. Permitindo-nos assim fazer uma análise do seu sucesso de acordo com a teoria dos Dois Fatores de Herzberg, especialmente os fatores motivadores.

Porque a empresa aparece na lista da EXAME?

A Chemtech acredita que mais vale formar um profissional que contratar alguém com experiência, que nem sempre tem os mesmo valores da empresa; por isso, recruta jovens talentos direto na porta das universidades, a empresa acredita na engenharia nacional e nos profissionais brasileiros e quer, cada vez mais, contribuir para o desenvolvimento sustentável e o crescimento do Brasil.

A boa relação entre direção e funcionários é evidenciada no texto no qual diz que o diretor–geral é uma figura presente e carismática citado como exemplo de pessoa, profissional e líder por toda a equipe. A comunicação é clara para todos, onde eles comemoram juntos as conquistas. E mais, há quem, com apenas oito meses de casa, já tenha começado o quarto curso bancado pela companhia.

A empresa é embasada pelo desenvolvimento interno, e praticamente todos os que estão na gerência, começaram como estagiários.

Os profissionais se mostram bastante satisfeitos no seu ambiente de trabalho, mas ressaltam que pelo elevado nível de contratação, o meio pode perder a identidade e seu “espírito de empresa pequena”. Esse ponto negativo da contratação pode comprometer as boas relações que rodeiam os funcionários, uma das preocupações de Herzberg, quanto aos fatores Higiênicos. Um dos funcionários conta que a promoção vem naturalmente, ele mesmo foi promovido duas vezes em três anos, este é um fator motivacional descrito por Herzberg.

A satisfação no cargo é função do conteúdo ou atividades desafiadoras e estimulantes do cargo, são chamados de ”fatores motivacionais”
Já a insatisfação no cargo é função do ambiente, da supervisão, dos colegas e do contexto geral do cargo, enriquecimento do cargo (ampliar as responsabilidades) são chamados “fatores higiênicos“.
Dizemos assim, teoria dos Dois Fatores. Herzberg

CONCLUSÃO

Desta forma, percebemos a notável semelhança com os Fatores Motivacionais de Herzberg. Quando esses fatores são presentes no ambiente, reflete diretamente na satisfação e a empresa cresce sem grandes problemas direcionados às Relações Humanas.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Maiêutica.



SABES MESMO?

Conhece-te a ti mesmo!
Será tão fácil assim?
Será preciso ajuda ou não?
Talvez sim, talvez não.

O conhecimento está aqui, sim
Mas onde então?
Do lado de fora ou dentro de mim?
Pode ser que sim, pode ser que não.

Mundo das idéias, mundo do saber
Privilégio só de alguns
Daqueles que nada sabem
E que por isso mesmo, tudo vêem.

O ato do parto, o nascimento do ser
O parto do ato (idéias em prática)
Nascimento do saber!

Pois quem sabe, sabe a esmo
Mesmo que não saiba como soube
Sabe que conhece a si mesmo.

A contribuição da psicologia para a interação do individuo x organização.

video



Analisar os níveis de linguagem no video de Psicologia.

Nossa análise será realizada em alinhamento aos NÍVEIS DE LINGUAGEM, assunto dado em sala de aula. Na entrevista, feita com a Assistente Social e Psicanalista, pós-graduada em Administração Hospitalar Sandra Munford, é notável a presença da linguagem culta, nível linguístico considerado privilegiado.
A sociolingüística concentra os seus estudos na diversidade lingüística. Os níveis de linguagem são classificados do ponto de vista sociolingüístico, considerando três divisões: níveis culto, comum e popular. O nível culto é o nível utilizado pelas pessoas que têm instrução, que puderam freqüentar a escola. Não podemos deixar de citar que os indivíduos que detêm esse nível linguístico são privilegiados na sociedade, pois possuem características intelectuais que os diferem daqueles que possuem o nível coloquial ou popular.
No decorrer da entrevista, Sandra usa expressões como “diagnosticando sistemicamente” e “consecução”, mostrando dessa forma, apego às normas cultas e suas características, como sintaxe complexa, vocabulário amplo e técnico, preso às regras gramaticais, assim também como supressão de gírias.

domingo, 3 de maio de 2009

O Administrador


A profissão de Administrador é relativamente nova e foi regulamentada no Brasil em 9 de setembro de 1965, data que se comemora o dia do Administrador.
Os primeiros administradores profissionais (administrador contratado, que não é o dono do negócio) foram os que geriam as companhias de navegação inglesas a partir do século XVII. Estas empresas foram as primeiras sociedades anônimas que se tem notícia.
Administrar envolve a elaboração de planos, pareceres, relatórios, projetos, arbitragens e laudos, em que se exija a aplicação de conhecimentos inerentes às técnicas de administração.

Habilidades do Administrador
* Habilidades Técnicas: Saber utilizar princípios, técnicas e ferramentas administrativas. Saber decidir e solucionar problemas.
* Habilidades Humanas: Saber lidar com pessoas, comunicando-se eficientemente, negociando, conduzindo mudanças, obtendo cooperação e solucionando conflitos.
* Habilidades Conceituais: Ter Visão sistêmica.

Atitudes do Administrador
Proativo, ousado, criativo, bom exemplo, cumpridor das promessas, saber utilizar seus princípios, ser cooperativo e ser um bom líder ajudando os funcionarios para que eles possam crescer junto com a empresa.

Símbolo da Profissão no Brasil
Este é o Símbolo do Sistema CFA/CRAs. Deverá ser usado nas suas várias versões, em toda a comunicação visual dos Conselhos Federal e Regionais de Administração. O Símbolo é composto de um emblema que representa a profissão de Administrador, cuja concepção e composição é detalhada no "Manual de Identidade Visual da Profissão" , inclusive especificações de cores, para aplicação em policromia ou em preto e branco.

O Símbolo escolhido para identificar a profissão do administrador tem a seguinte explicação justificada pelos seus autores:

* O quadro como ponto de partida: uma forma básica, pura, onde o processo de tensão de linhas é recíproco. Sendo assim, os limites verticais/horizontais entram em processo recíproco de tensão.
* Uma justificativa para a profissão, que possui também certos limites em seus objetivos: organizar, dispor para funcionar, reunir, centralizar, orientar, direcionar, coordenar, arbitrar, relatar, planejar, dirigir, encaminhar os diferentes aspectos de uma questão para o objetivo comum".
* "O quadro é regularidade, possui sentido estático quando apoiado em seu lado, e sentido dinâmico quando apoiado em seu vértice (a posição escolhida)"
* "As flechas indicam um caminho, uma meta, a partir de uma premissa, de um princípio de ação (o centro)".
* "As flechas centrais se dirigem para um objetivo comum, baseado na regularidade (...) as laterais, as metas a serem atingidas".

Dia do Administrador
Nove de setembro é o "Dia Nacional do Administrador", por ser a data de assinatura da Lei nº 4769, de 9 de setembro de 1965, que criou a profissão de Administrador. O dia do Administrador foi instituído pela Resolução CFA nº 65/68, de 09/12/68.

Juramento do Administrador
"Prometo dignificar minha profissão, consciente de minhas responsabilidades legais, observar o Código de Ética, objetivando o aperfeiçoamento da Ciência da Administração, o desenvolvimento das Instituições e a grandeza do homem e da pátria". O juramento foi oficializado pela RN CFA nº 201, de 19/12/97

Oração do Administrador
"Senhor, diante das organizações devo ter CONSCIÊNCIA de minhas responsabilidades como ADMINISTRADOR. Reconheço minhas limitações, mas, humildemente, junto com meus companheiros de trabalho busco o consenso para alcançar a SOLUÇÃO e tornar o trabalho menos penoso e mais produtivo; Senhor, despido do egoísmo, quero crescer, fazendo crescer, também, os que me cercam e que são a razão de minha escolha profissional; Senhor, ADMINISTRE o meu coração para que ele siga o caminho do bem, pois, a mim caberá realizar obras sadias para tornar as organizações cada vez melhores e mais humanas."

Adm. Rui Ribeiro de Araújo CRA/DF nº 2285

Educação a Distância


A Ead consiste em um método de educação não presencial ou semipresencial que possibilita a aprendizagem do indivíduo através de métodos de texto, áudio e vídeo, reforçados a partir da fusão com a Internet.
As vantagens da educação a distância são muitas, dentre as quais destacam-se a interatividade, pois atende à pessoas que não têm disponibilidade de horário e também àquelas cuja localização geográfica é desfavorável, eliminando assim, gastos com locomoção. Outra vantagem é em relação à possibilidade de constante revisão e atualização do conteúdo, principalmente quando se comparado a dados contidos em livros que, além de não aceitarem atualizações, se tornam rapidamente ultrapassados.

Entre as desvantagens, a falta de convivência humana talvez seja a maior delas, pois impede a socialização e a participação ativa do aluno na sala de aula, deixando de trabalhar, por exemplo, fatores importantes para sua vida social, como desenvoltura e relacionamento interpessoal. O convívio entre professor e aluno é essencial para a aprendizagem, uma vez que possibilita a troca de experiências. Mesmo usando os mais avançados recursos de tecnologia existentes, a falta de contato humano pode até
mesmo dificultar a absorção do conteúdo pelo aluno.

Essa nova possibilidade de ensino tem tudo para revolucionar a educação, se usada de forma correta. A tecnologia aliada a uma boa proposta pedagógica, com foco na aprendizagem de qualidade, pode concerteza, não substituir, mas equiparar-se com o ensino presencial, resultando em mais opções para a população. Mas a sua implantação não é fácil, a mudança tem que ser gradual e responsável. É difícil mudar padrões já adquiridos, além do que, há uma grande desigualdade econômica, de acesso, de maturidade e de motivação nas pessoas. Nem todos estão preparados para a mudança. Mas se todas essas barreiras forem ultrapassadas, a sociedade só tem a ganhar.

sábado, 18 de abril de 2009

Emoções no Ambiente de Trabalho

video

Com base no conhecimento adquirido em sala de aula e na experiência tida na entrevista, concluímos que as emoções estão presentes no ambiente de trabalho e podem sim, influenciar na tomada de decisões e nos relacionamentos na organização. Nossa entrevistada ressalta diversas vezes à importância de aprender a controlar as emoções e os sentimentos no processo decisório, pois tais manifestações podem prejudicar e muito os negócios. Quando lhe é perguntado que,
deixar os problemas em casa e não levá-los para o trabalho é ainda utilizado pelos gerentes e líderes empresariais, ela ressalta: “Mais ou menos, o certo seria deixar em casa. Mas o excelente profissional sabe separar muito bem isso”. Mostrando assim que apesar de ser muito difícil deixar as emoções “de lado”, o profissional ideal deve aprender a controlá-las para o bem próprio, dos demais e da organização.

sexta-feira, 17 de abril de 2009